Arquivo da tag: union square

Roteiro de outlets: Filene’s Basement

O FashioNYC está muito chique e agora tem domínio próprio: www.fashionyc.com. Clica aqui que, desde o dia 26 de abril, os novos posts só entram lá!

Sabe aquelas lojas que fazem parte da história de um país, nem que seja a história varejística? A Filene’s Basement é para os EUA o que a Mesbla ou as Pernambucanas significam para os brasileiros: aquele tipo de loja que vende roupa pra a família inteira e ainda tem toalha e lençol.  A diferença é que a Filene’s Basement é conhecida por vender peças de ponta de estoque de marcas conhecidas – algumas até consideradas de luxo – por um preço muuuuuito abaixo do mercado. Assim, a Filene’s abre o roteiro de outlets do FashioNYC.

Fundada em 1909, em Boston, a Filene’s nasceu como uma empresa familiar, com o filho vendendo o que sobrava da loja departamento do pai, que ficava no piso superior. Segundo a empresa, eles foram os primeiros a ter esse conceito de vender “off price” o que sobrava das coleções.

A loja vende moda maculina, feminina e infantil e não tem apenas roupas: há sapatos, bolsas, activewear, lingerie, artigos de cama, mesa e banho e acessórios em geral, como relógios, óculos, jóias e por aí vai. Na loja que fica na Union Square, em Downtown, são três andares de descontos que facilmente passam dos 50%, mas que podem chegar a uns 80% do preço original da grife quando a peça encalha de verdade.

Antes de ir às compras na Filene’s, é preciso ter em mente que lá não é lugar para encontrar roupas baratas em torno de US$ 5, US$ 10, US$ 15. A loja é ótima para quem compra ou tem vontade de comprar peças de marcas famosas, mas desiste de entrar em uma loja da DKNY, por exemplo, onde uma regata basicona pode custar USS 90 (eu passei por isso!).

Quer impressionar a amiga e dar uma blusinha básica da Dolce & Gabbana? Na Filene’s você consegue pagar US$ 59,90 pela peça e provavelmente vai deixá-la feliz. Muito caro? Um casaco 100% algodão da DKNY pode sair por US$ 35. O legal da Filene’s é poder provar e pensar dezenas de minutos se vai querer levar uma peça de grife e de qualidade pra casa ou não. Se você é daquelas pessoas que não ligam pra etiqueta, provavelmente não vai achar o lugar tão legal assim. A Forever 21 tá aí pra te deixar feliz.


Dicas

Enfim, se você estiver se programado para aproveitar as pechinchas da Filene’s Basement, não deixe de se cadastrar no site da rede. Você recebe por e-mail um cupom em que é só imprimir e apresentar no caixa pra ganhar 30% de desconto em uma das peças que você comprar. Ao fazer cadastro, você entra no banco de dados e passa a receber newsletters com descontos que podem ser em dinheiro ou em porcentagem em cima da compra total ou de uma peça.

Curiosidades

A loja conta que desenvolveu um jeito ótimo de vender seus produtos chamado “Automatic Mark Down System”. Era assim: o preço na etiqueta de cada peça vinha com a data em que o produto foi exposto. Quanto mais a peça demorasse pra ser vendida, mais barata ela ficava. Começava com 25%  (em cima do valor já de ponta de estoque), passava pra 50% e podia chegar a 75%. Se não vendesse até aí, a roupa era doada pra entidades assistenciais. Hoje em dia, não vejo nem sinal desse sistema, infelizmente.

Uma das barganhas mais conhecidas da Filene’s é o bota-fora de vestidos de noiva. É bizarro de tão barato e de quanto a mulherada fica desesperada. A revista Allure deste mês (março) conta que um vestido que custava US$ 10 mil foi vendido por US$ 199 na loja de Boston, em 1997. Quer ver como as noivas ficam surtadas? Clica aqui que tem vídeo.

Serviço:
São 24 lojas pelos EUA, sendo 4 delas em Nova York. Para endereços, clica aqui.

Anúncios

Uma Shoestock em Manhattan?

O FashioNYC está muito chique e agora tem domínio próprio: www.fashionyc.com. Clica aqui que, desde o dia 26 de abril, os novos posts só entram lá!

Quem acha a Shoestock (mega loja de sapatos em SP) o paraíso de qualquer sapatólatra vai gostar da DSW (Designer Shoe Warehouse), multimarcas de sapatos e bolsas com três unidades em NYC e várias outras pelos EUA. A loja lembra a Shoestock por causa do esquema self service: dá para escolher o tamanho disponível na hora, pegar, provar e fazer as contas do limite do cartão de crédito sem nenhuma vendedora importunando. Comparando de forma geral, o preço das duas é muito parecido, a diferença da DSW é a quantidade de opções em promoção e a variedade.

A loja que fica em um prédio na Union Square (entrada ao lado da Forever 21) é gigante e tem opções de sapatos masculinos e femininos. Mas a dica inicial é, antes de olhar qualquer coisa, ir para o fundão da loja, onde fica a ponta de estoque ou “clearance”. Lá, os sapatos que já tinham desconto, estão, no mínimo, 30% mais baratos. Mas os descontos variam e podem chegar a 70%.

Entre as marcas vendidas na DSW há algumas famosinhas, como Guess, Steve Madden, Ralph Lauren, MICHAEL Michael Kors e Calvin Klein, entre outras menos conhecidas. Mas quem for à loja precisa saber que os sapatos grifados não são top de linha das marcas e são poucos em variedade se comparado ao gigante acervo da loja.

A loja ganhou post só sobre ela porque é realmente grande e dedicada só a calçados e acessórios. Se a idéia é comprar algum tênis em NYC, vale passar lá durante a pesquisa de preços: há Adidas, Mizuno, Asics e Nike, entre outros.

Adeptas de sapatilhas, cuidado, pois a falência estará próxima: há trocentas opções de flats com variações no material e com grande variedade de cores. Além dos sapatos, a DSW tem ainda bolsas, clutches, cintos e carteiras.

Esse da Ralph Lauren lembra umas gêmeas loiras de Manhattan

A loja também vende online, não entrega no Brasil, mas dá para ter uma idéia melhor de preços.

A praça e o comércio

O FashioNYC está muito chique e agora tem domínio próprio: www.fashionyc.com. Clica aqui que, desde o dia 26 de abril, os novos posts só entram lá!

A Union Square é um dos principais pontos de comércio, de movimentação de pessoas e de manifestações políticas e culturais de Nova York. A praça fica em Downtown e dá nome a uma das principais estações de metrô da cidade, onde param 8 das 24 linhas existentes.

A praça é um dos melhores lugares para se ir às compras na cidade, desde que na lista não conste glamour como o da 5ª Avenida. É na Union Square que você vai encontrar nova-ioquinos e turistas consumindo desde roupas e sapatos a livros, eletrônicos, vinho, remédio para cachorro e comida pronta ou para abastecer a dispensa.

Em uma contagem muito chinfrim, cheguei a mais de 20 lojas somente de frente para a Union Square. Há ainda as trocentas outras lojas que ficam muito próximas, mas não de cara com a praça. Unidades da Parsons New School for Design também ficam lá pertinho.

Entre as opções de compras, a mais farta é a de roupas e sapatos. Há Forever 21, DSW (multimarca pechincha de bolsas e sapatos), Strawberry (roupas baratas), Shoe Mania (sapataria basicona), American Eagle Outfitters, Diesel, Filene’s (outra multimarca pechincha) e Rothmans (moda masculina).

Isso não é nem metade das opções de compras da Union Square. O local tem ainda uma Best Buy (eletrônicos), a livraria Barnes & Noble, uma Sephora, as lojas de artigos para crianças The Children Place e Babies “R” Us, o prédio da New York Film Academy, a loja de bebidas Wines & Liquors, a pet shop gigante Petco Supllies e o Walgreens (um supermercado que vende de tudo, menos arroz e feijão).

Para matar a fome, a Union Square tem a Au bon pain (muffins e cookies deliciosos), o Whole Foods Market (a Meca dos orgânicos), Starbucks (banheiro grátis), a cervejaria artesanal Heartland Brewery e uma feira orgânica.

O que faltou dizer sobre a Union Square é que ela não é fashion e ninguém vai para lá para ver a moda de Nova York. Mas a praça é ótima para dar uma volta, observar pombos e esquilos disputando comida, sentar-se nos banquinhos e fazer um lanchinho ao ar livre. Aos domingos, há feira de artes e crianças brincando no parquinho.

Ladies Mile (ou um pouco de história)

A Union Square tem o seu passado muito ligado à moda e ao nascimento do comércio de luxo nova-iorquino, e foi muito frequentada pela elite de Nova York durante o século 19 e início do século 20, quando a região a oeste e acima da praça era um distrito histórico conhecido como Ladies Mile.  De acordo com o New York City Landmark Preservation Commission, a região compreendia o quadrado entre a 15th street, a Park Avenue, a 24th street e um pouco mais à esquerda da Avenue of the Americas (um mapinha da área aqui). Já o Museum of the City of New York conta que a inauguração da loja de departamento Wanamaker’s na 9th street, em 1862, aumentou a área que se compreendia como Ladies Mile.

Segundo o The New York Preservation Archive Project, a Ladies Mile era onde as mulheres aliavam as compras ao lazer. O distrito era formado por prédios, restaurantes e lojas opulentos e, de tão popular, tornou-se o lugar onde as mulheres puderam circular desacompanhadas dos homens pela primeira vez na história local. Em um prédio na esquina da 15th street com a Union Square já funcionou a Tiffany & Co, muito antes de Audrey Hepburn existir.

Union Square em 1903; foto do Museum of the City of New York

A decadência do primeiro distrito fashionista de Nova York começou na transição da primeira para a segunda metade dos anos 1900, quando a vida social começou a se mover para cima da ilha e por causa da Grande Depressão (O crash de 1929). Na segunda metade do século 20, a região ficou decadente de vez, mas se recuperou no final dos anos 80, quando foi revitalizada e ganhou novas lojas.