Arquivo da tag: desfiles

BK Fashion Week{end} é amadora, mas vale a pena

A proposta era a de ser uma fashion week de três dias, mas o orçamento só deu para um dia de evento. Mesmo assim, o Brooklyn Fashion Week{end} cumpriu o que prometeu: ser um evento onde fashion designers que moram e produzem no Brooklyn possam mostrar as suas criações para o público. A edição Fall/Winter 2010 aconteceu no último domingo, dia 11 de abril, e eu já tinha falando sobre isso neste post aqui.

Se você nunca viu um desfile de moda, morre de vontade de saber como é um, curte observar as pessoas e gostaria de papear com gente da área, o BK Fashion Week{end} é uma ótima oportunidade porque põe ingressos à venda. Nesta última edição, existir lá dentro custava US$ 35.

Ao todo, foram 11 marcas a desfilar, o que acabou tornando o evento cansativo, e um bocado de gente foi embora antes do final. Até que rolava intervalos, com direito a atrações musicais (momento desespero), mas não há como prestar atenção a 11 desfiles em pouco mais de 4 horas. A falta de informação sobre as marcas e os designers que estavam na passarela – inclusive o nome – tornava tudo mais complicado e por isso as roupas estão sem crédito.

.


.
O que se via na passarela era uma mistura de conceitual com comercial, com algumas peças altamente usáveis e outras viajadas demais para o mundo real. Na plateia, não havia Anna Wintour nem celebridades de quem eu já tivesse ouvido falar, mas tinha um povo muuuito estiloso, produzido pra chamar a atenção mesmo.

Muita gente que tava lá nem sabia como funciona o ritual de um desfile: batiam palma só porque a modelo era da família e se levantavam antes do desfile terminar, para desespero dos fotógrafos e cinegrafistas.

.


.
Depois de passar pela SPFW e NYFW, deu pra perceber que o BK Fashion Week{end} é como um universitário em uma joalheria chique querendo comprar um anel para a namorada. Ele gostaria de dar a melhor joia a ela, mas vai ter que se conformar com o que o salário de estagiário pode pagar. Explicando melhor: o BK Fashion Week{end} sabe que é amador e nem chega aos pés de uma NYFW, mas fica feliz com o que pode oferecer e sabe que poderia fazer melhor caso tivesse mais patrocinadores. É nítido que todos estão lá por dedicação à moda e vontade de fazer do Brooklyn uma região tão influente na moda americana quanto Manhattan.

O BK Fashion Week{end} costuma acontecer duas vezes por ano, sempre depois da NYFW.

Posts relacionados:

NYFW x SPFW

Vendem-se ingressos para NYFW

O lado B da fashion week de NYC

Anúncios

Moda e manequins ao ar livre na Broadway

Nunca pôde ver de perto o desfile de algum top designer dos EUA? Pois a chance de conferir o talento de estilistas como Tommy Hilfiger, Donna Karan, Michael Kors e Diane von Furstenberg começa no dia 24 de junho de 2010 e vai até a primeira segunda-feira de setembro. Esse é o período em que estará rolando a exposição “Sidewalk Catwalk”, uma espécie de instalação de moda ao ar livre que vai espalhar 30 manequins pelo pedaço da Broadway que corta o Fashion District, entre a Times Square e a Herald Square, em Nova York.

Apesar do nome da exposição significar que a calçada vai virar uma passarela, os manequins estarão parados à espera da admiração pública. Todos os bonecos estarão vestidos com peças produzidas por quase 30 top designers dos EUA, incluindo ainda Kenneth Cole, Nanette Lepore, Isaac Mizrahi, Anna Sui e Isabel Toledo, entre outros. Estudantes da Parsons e do FIT ajudarão nos preparativos.

Segundo o material de divulgação, as roupas serão uma “representação criativa” de cada estilista em cima de um dos principais materiais de trabalho deles: o manequim. A instalação pretende mostrar “a vitalidade e o espírito criativo da indústria da moda em um ambiente externo”.

Pra nós, simples curiosos de moda, é a oportunidade de tornar o passeio pela Broadway mais divertido, além de poder conferir o trabalho de designers que já fazem parte da história da moda.
..

Sim, os manequins e as roupas ficarão durante todo o período expostos a sol, chuva ocasional e poluição (que tem de sobra em Manhattan). Mas como os designers não são bestas, eles poderão trabalhar com os aviamentos que quiserem – não só tecido – e vão usar um material resistente a água.

Por enquanto, só o manequim da foto viu a cor da rua como parte do teste de “locação”. A exposição/instalação é obra do Fashion Center Business Improvement District, uma organização que é tipo a “prefeitura” do Fashion District. O release completo – com a lista dos designers – está aqui. Como o objetivo do FashioNYC é ensinar a pescar e não só dar o peixe, o site do Fashion Center é um ótimo lugar para buscar infos atualizadas sobre o distrito da moda em NYC. Assim que a exposição começar, posto fotos aqui.

O lado B da fashion week de NYC

Esqueça NYFW, Mercedes-Benz e Bryant Park. A moda hypada e estilosa de Nova York está no Brooklyn (disso muita gente já sabe) e tem seu momento celebridade a cada BK Fashion Week{end}. O evento é menor do que a NYFW, mais pobrinho, dura apenas três dias – sexta, sábado e domingo – e conta apenas com os designers menos conhecidos e mais descolados, porém, não menos comerciais.


A próxima edição do evento começa na sexta, dia 9 de abril, e vai até o domingo, dia 11. O line-up já foi divulgado, mas pode mudar às vésperas porque a agenda não é rigorosa.

Por falar em rigor, essa realmente não é a preocupação de quem organiza o BK Fashion Week{end}. O evento é tão low profile que pede a inscrição de modelos voluntários. Dá pra se candidatar por email! Por também ser um evento menos badalado, dá para conseguir – de graça! – acesso aos desfiles solicitando ingressos pelo site.

O BK Fashion Week{end} acontece duas vezes por ano e o tema deste ano é “I AM Brooklin”. Quem está de viagem marcada para NYC agora em abril pode colocar uma semana de moda nova-iorquina no roteiro! Chique, hein? Se não dá para ser em abril, há outra edição mais ou menos em outubro.


Quem está por trás do evento é o BK Style Foundation (BKSF), que se apresenta como uma “plataforma para o talento criativo e explosivo do Brooklyn”. A ideia deles é promover designers sem privilégio,s fazendo com que eles possam se mostrar e manter um negócio próprio.

No fundo, no fundo, o que todos querem é solidifcar essa imagem que o Brooklyn já tem de ser celeiro da moda descolada de NYC, um pouco diferente daquela moda “convencional” de Manhattan. Quer saber mais sobre essa rixa Manhattan x Brooklin? A revista local Time Out fez uma matéria muito legal.

Update: a organização do evento divulgou que, por falta de patrocínio, o BK Fashion Week{end} foi encurtado para apenas o domingo, dia 11.

Logo e fotos tirados do site do BK Fashion Week{end}

Herchcovitch na NYFW

O desfile da Alexandre Herchcovitch no penúltimo dia da NYFW – que vai até esta quinta, dia 18 – encerrou a minimaratona de minicobertura do evento pelo fashioNYC. O desfile foi muito bem aplaudido, sinal de que o público gostou. A sala era menor que a do desfile de Carlos Miele, o que não quer dizer que um estava mais vazio que o outro. O povo se imprensou pra ver as roupas do mesmo jeito.

Era uma entrevista atrás da outra após o desfile

Não vou fazer resenha de desfile porque essa não é a minha praia. Mas o que Herchcovitch mostrou na passarela deixou bastante gente com vontade de usar. Pelo menos as mocinhas que estavam ao meu lado enumeraram – em inglês – várias peças que elas gostariam de comprar e, durante a espera para entrar no backstage, mais gente citava uma ou outra peça-desejo.

Algumas peças faziam barulhinho de sinos à medida que a modelo andava. Fotos: Getty Images

O mais legal no desfile de Herchcovitch em Nova York é que ele mostra praticamente a mesma coleção que ele apresentou na SPFW pouco tempo antes. Se não são as mesmas peças que ele leva pra NYFW, é a mesma paleta de cores, a mesma história, o mesmo repertório. Isso quer dizer que, apesar de o Brasil ser temporalmente 1 ano atrasado em relação às semanas de moda mundo afora, com Herchcovitch dá a sensação de que estamos pau a pau.

Mais fotos…

Câmeras, câmeras e mais câmeras...

Modelos se despindo de Herchcovitch após o desfile. Sabia que muitas delas voltam para casa de metrô depois que terminam de trabalhar?

Acabou a festa...

Carlos Miele na NYFW


O desfile de Carlos Miele nesta segunda-feira, dia 15, na NYFW fall 2010 teve sala lotada, sinal de que o trabalho do estilista é reconhecido. Mas o melhor de tudo foi perceber que as pessoas que estavam lá e com quem conversei realmente queriam ver o que o estilista tinha para mostrar e não estavam lá só para ver mais um desfile.

Esse foi o primeiro desfile que assisti in loco na NYFW e fiquei impressionada com a quantidade de câmeras no “pit”. As salas são enormes e rola toda aquela confusão de gente em pé, no fundão. Ok, pontualidade não foi o forte, mas vi um dos vestidos mais bonitos da temporada. Ele está logo abaixo, é o preto com nude, entre os outros preferidos. A trilha sonora foi brasileiríssima com Jorge Ben Jor. Tudo bem que as músicas dele tocam em vários desfiles pelo Brasil.

Fotos: Getty Images

O processo de entrada na sala dos desfiles da NYFW é muito tranquilo porque tem um monte de gente com a lista dos convidados em mãos. Uma vez que você confirma seu nome, recebe o convite de papel e entra na fila. O processo só me fez lembrar dos convites da SPFW com toda a parafernália eletrônica e as filas que você não sabe onde terminam.

Em sentido horário: sala cheia, convite basiquinho e interns da NYFW que contaram estarem ansiosas para ver desfile de estilista que ainda não conheciam

Nos bastidores, Miele contou que foi um desafio usar cores no inverno, que apostou na raiz brasileira para o design das roupas e que as peças foram feitas no Brasil com mão-de-obra de cooperativas de inclusão social. Atualmente, Miele vende suas peças para 27 países. Mais fotos do desfile aqui

Carlos Miele

Ok, desfile na NYFW não é bem um programa turístico porque é seleto, maaaaasss quem realmente está afim de ir a um desfile vai ficar feliz de saber que por aqui dá para se comprar quase tudo, inclusive ingressos. Eles, oficialmente, não estão à venda. Por isso, é um negócio de risco. Logo, logo tem post sobre isso.