So long Bryant Park…


A edição fall 2010 da NYFW – entre os dias 11 e 18 de fevereiro – foi a última a ser realizada no Bryant Park, que fica atrás da Biblioteca Pública de Nova York, na 5ª Avenida. As próximas semanas de Nova York serão no Lincoln Center, mais precisamente no Damrosch Park. Modelos, estilistas e até curiosos terão de esperar até o dia 9 de setembro deste ano (início da próxima temporada) para ver como a nova locação vai se comportar.

Essa mudança de mala e cuia vai alterar a programação de nova-iorquinos e turistas que curtem observar a movimentação do lado de fora a cada NYFW. Mas como a fórmula é muito parecida, sempre vão existir as saídas dos fundos por onde as celebridades entram e saem e sempre vão existir aqueles que vão mais para serem vistos do que para ver alguma coisa.

Bye, bye

Esta última edição deixou um ar de saudosismo. Fern Mallis, sênior vice-presidente da IMG Fashion, empresa “dona” da NYFW, fez as contas na revista oficial do evento: foram 17 anos, 31 temporadas e 2.500 desfiles.

A NYFW terminou nesta quinta-feira, dia 18, e com ela acaba também a minimaratona de minicobertura do fashioNYC. Me submeti a pagar US$ 90 dólares de credenciamento para poder ver como era o povo que tinha acesso às tendas, como era a preocupação com segurança e qual era o nível de afetação. As primeiras impressões viraram este post aqui.

Entrada pela avenida das Américas

O meu credenciamento foi em cima da hora e, obviamente, conseguir acesso aos desfiles foi complicado porque as listas já estavam fechadas. Mas as assessorias dos estilistas brasileiros compensaram o descaso das assessorias dos designers daqui.

Com o desfile de Miele e o de Herchcovitch deu pra perceber que a NYFW é bem menor que a SPFW em relação à área ocupada, o Bryant Park. A preocupação com a segurança é muito despreocupada. Apesar do aviso de que bolsas podiam ser revistadas a qualquer momento, não vi ninguém sendo revistado e não era tão difícil entrar na tenda.

A credencial de imprensa era a mesma para todos os dias do evento e não tinha sequer nome ou foto do credenciado. A única com esses itens de segurança eram as dos cinegrafistas e fotógrafos porque eles tinham acesso a todos os desfiles. Na SPFW é imprescindível ter foto e, para credenciamentos de última hora, é uma nova e colorida credencial a cada dia.

Ao longo da fashion week deu para ver que tem fashionista que é muito igual: eles vão lá mais para serem vistos do que para verem qualquer coisa. À medida que a semana ia passando, mais gente estilosa passeava pela tenda. Todos muito abertos a posar para fotos e falar sobre o estilo próprio.

O nome na lista torna tudo mais fácil, tanto para a organização quanto para quem quer fazer dinheiro às custas de convites ganhos. O tamanho dos lounges também surpreendeu de tão pequenos que eram. Havia menos de dez e alguns deles eram ocupados por empresas diferentes a cada dia. O que promovia uma marca de chocolate deu lugar ao Fashionable Istanbul, por exemplo. O da Coca Cola, que só distribuía refrigerante e anunciava a coleção The Heart Truth’s, passou a oferecer quick massage.

Como dizia o slogan não tão oficial: “So long Bryant Park and welcome Lincoln Center”. O novo endereço da NYFW fica no Upper West Side de Manhattan, no lado oeste, entre as ruas 62nd e 65th e as avenidas Columbus e Amsterdam. O local é a casa oficial da ópera, da filarmônica e do balé de Nova York, além do NY Film Festival. Agora, abrirá as portas também para a moda.

Os comentários estão desativados.